<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d7043313\x26blogName\x3dSociologia\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://sociologos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://sociologos.blogspot.com/\x26vt\x3d2985612518033734767', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

Mitos e Utopias da Cultura Portuguesa

segunda-feira, abril 24, 2006
CURSO LIVRE - MITOS E UTOPIAS DA CULTURA PORTUGUESA

Organização: Centro de Estudos de Culturas Lusófonas em parceria com o Centro de Literaturas de Expressão Portuguesa da Universidade de Lisboa, com o apoio do Sindicato de Professores da Grande Lisboa
Direcção: Prof. Doutor António Moniz
Docente: Prof. Doutor António Moniz, Doutora Annabela Rita e Doutor José Eduardo Franco

Data de realização: 02 de Maio de 2006 a 27 de Junho de 2006
Horário: 17h30m às 20h00m – 4ª feira
Propinas: Público em geral – 100€;
Estudantes FCSH – 40€;
Sócios do SPGL – 75€

Mais informações em: ceclu@fcsh.unl.pt

semana sem televisão



Semana sem televisão assinala-se de 24 a 30 de Abril
Durante a próxima semana a associação norte-americana TV Turnoff Network convida todas as pessoas do mundo a viver de uma forma diferente, sem ver televisão. De 24 a 30 de Abril, o organismo tenta, pela décima segunda vez, organizar um movimento de abstinência televisiva.
Com esta iniciativa, a TV Turnoff e as mais de 70 organizações que a apoiam pretendem combater a teledependência, levando os espectadores a reflectir sobre o ascendente da caixa no seu quotidiano.
Fundada em 1994 nos EUA, a organização tenta espicaçar os espectadores e despertar consciências para os malefícios da televisão. A lista é grande e grave: obesidade, o insucesso escolar e o pouco tempo passado em família.
----------
televisao.jpg

Portugueses viram 3h36m diárias de televisão no 1º trimestre
Os portugueses viram, em média, 3 horas e 36 minutos por dia de televisão nos três primeiros meses deste ano, revelam os dados da Marktest Audimetria/MediaMonitor.
Estes dados traduzem um decréscimo de dois minutos diários face a igual período em 2005.
Os residentes no Grande Porto são os maiores consumidores televisivos, com valores 5,4% acima da média nacional.
Em termos sociais, os indivíduos da classe baixa lideram o consumo da caixa mágica, cifrando-se este 24,4% acima da média.

Lisboetas - cinema em debate

b_000490.jpg

Sinopse
Lisboetas é um documentário político sobre a vaga de imigração que nos últimos anos mudou Portugal.
Lisboetas é o retrato de um momento único em que o país e a cidade entraram num processo de transformação irreversível.
Lisboetas é um filme que rejeita o habitual tratamento jornalístico e aborda a experiência humana dos imigrantes da grande Lisboa de um ponto de vista cinematográfico.
Lisboetas é uma janela secreta sobre novas realidades: modos de vida, mercado de trabalho, direitos, cultos religiosos, identidades. É uma viagem a uma cidade desconhecida, a lugares onde nunca fomos e que estão aqui.
Lisboetas é um retrato por dentro. A palavra é dada aos recém chegados. Talvez por isso, como escreveu a crítica do “Público” Kathleen Gomes, “os estrangeiros aqui somos nós”.
Lisboetas não é um filme dogmático, mas é um filme incómodo e que deixa muitas questões em aberto - por que é difícil avaliar o quanto tudo mudou e ainda pode mudar.



Sessões Seguidas de Debate no cinema NIMAS, em Lisboa

DOMINGO 23 ABRIL (final da sessão das 17H00)
INÊS PEDROSA - Escritora
MANUEL VILLAVERDE CABRAL – Cientista Social
TIMÓTEO MACEDO – Associação Solidariedade Imigrante
SÉRGIO TRÉFAUT - Realizador

SEXTA-FEIRA 28 ABRIL (final da sessão das 19H00)
MARIA JOSÉ NOGUEIRA PINTO – Vereadora da C. M. Lisboa
DIANA ANDRINGA - Jornalista
BERNARDO SOUSA – Alto Comissário Adjunto para a Imigração e Minorias Étnicas (ACIME)
SÉRGIO TRÉFAUT - Realizador

Qualidade à Criança e ao Jovem: a redução dos riscos

Qualidade à Criança e ao Jovem: a redução dos riscos

Realiza-se nos dias 27 e 28 de Abril de 2006, o Encontro “Qualidade à Criança e ao Jovem: a redução dos riscos” no Centro Cultural Gonçalves Sapinho, em Benedita.
Com a promoção deste Encontro, a Comissão Organizadora pretende dinamizar um fórum de discussão orientado para os seguintes objectivos:
- Sistematizar a troca de experiências nos domínios da educação-formação formal e não-formal de crianças e jovens;
- Reflectir sobre as oportunidades e constrangimentos dos modos educação/formação, socialização;
- Discutir as modalidades de trabalho em rede dos agentes de educação-formação e as formas que possibilitem a intervenção prospectiva.

Desafios à Economia Social - Políticas e Práticas

Desafios à Economia Social - Políticas e Práticas

27 de Abril de 2006 - 14h00

Local de realização: Universidade do Minho ( Auditório Edifício Engenharia II. Junto novo edifício ICS )
Campus Gualtar - Braga
Organização/Inscrições: APSIOT: Telf/Fax: 218687941; E-Mail: apsiot@mail.telepac.pt
Rua de Xabregas, nº 20-3º Sala 14, 1900-440 Lisboa
Outros Contactos da Organização:
Departamento de Sociologia e Instituto de Sociologia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto
Cristina Parente: 226077190; cparente@letras.up.pt
Núcleo de Estudos em Sociologia – Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho
Campus de Gualtar, 4710-057 BRAGA; Telf. 253 604 212; Fax: 253 678 850
Ana Paula Marques: 253604212 / 253604218,
amarques@ics.uminho.pt ; sofiaoliveira@ics.uminho.pt

Ordem Profissional para Sociólogos

sábado, março 04, 2006
Sociólogos querem criar Ordem profissional
Os cerca de 200 sociólogos reunidos este sábado, em Vendas Novas, para debater a profissão defenderam a criação de uma Ordem profissional para o reconhecimento público e institucional da classe.
Organizado pela APS, o encontro sob o tema «Futuros da Profissão de Sociólogo», que reuniu cerca de 200 participantes, teve como objectivo a troca de experiências e uma reflexão sobre a criação da Ordem dos Sociólogos.
«Reflectir sobre as oportunidades e os constrangimentos com que a profissão de sociólogo se defronta, discutir as modalidades de organização dos sociólogos e auscultar as diferentes sensibilidades acerca da criação de uma Ordem dos Sociólogos ou de outros modelos de regulação da profissão» foram objectivos do encontro.
Com três dezenas de oradores, o encontro promoveu a troca de experiências profissionais no primeiro painel intitulado «Experiências Profissionais: Oportunidades e Constrangimentos», na «Administração Pública e Terceiro Sector», «Autarquias», «Empresas», «Ensino» e «Investigação».
Hoje, os sociólogos debruçaram-se sobre o tema «Organização da Profissão: Uma Ordem para os Sociólogos», que contou com a apresentação de comunicações de Nuno Valério, da Ordem dos Economistas, Carlos Gonçalves, do Conselho da APS, e Anália Torres, Presidente da APS.

Velhos Guetos, Novas Centralidades

terça-feira, novembro 29, 2005
Socióloga vai gerir projecto para a vila de Rabo de Peixe
A socióloga Piedade Lalanda vai ser a nova gestora do projecto "Velhos Guetos, Novas Centralidades", que prevê investimentos de cerca de 23 milhões de euros na vila açoriana de Rabo de Peixe.
Terão prioridade a construção de uma creche e jardim-de- infância e do Centro de Artes e Ofícios de Rabo de Peixe, assim como a renovação e ampliação de infra-estruturas de abastecimento de água e saneamento básico da vila.
Com cerca de 7.500 habitantes, a vila de Rabo de Peixe é considerada com uma das mais pobres localidades açorianas, onde foram detectados pelas diversas equipas problemas sociais, como famílias numerosas com carência de habitação, baixos níveis de escolaridade e abandono e insucesso escolar.
O projecto "Velhos Guetos, Novas Centralidades" prevê, nos próximos anos, a construção de infra-estruturas para a requalificação da vila, um centro cívico e uma escola profissional.
Além disso, o programa destina vários milhões de euros para a reabilitação de espaços públicos, abastecimento de água e sistemas de esgotos e formação e qualificação profissional.

Fitas e Sociologia

domingo, novembro 20, 2005
Faculdade de Letras do Porto organiza ciclo "Fitas e Sociologia"
Seis filmes fazem parte do ciclo de cinema "Fitas e Sociologia", que se inicia segunda-feira, no Anfiteatro Nobre da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP).
O ciclo é uma iniciativa do Departamento de Sociologia da FLUP, com o propósito de "chamar a atenção para algumas temáticas e problemas sociais que têm sido objecto de reflexão pela Sociologia, promovendo assim a sua discussão sociológica".

Portugal, um Retrato Social

quarta-feira, agosto 17, 2005
port_rsocial.jpg
Portugal, um Retrato Social
A RTP vai realizar uma série de programas sobre a sociedade portuguesa desde os anos cinquenta, da autoria de António Barreto.
Para tal, é necessário recorrer a documentos originais que possam ilustrar a realidade daqueles anos.
Por exemplo: filmes amadores, diários pessoais e fotografias. Serão muito úteis as imagens de fábricas, escolas, hospitais, entretenimento, emigração, transportes, modos de vida em geral. A todos os que queiram colaborar com esta iniciativa, a RTP garante a preservação e devolução de todos os empréstimos.

Jovens e Mercado de Trabalho

quarta-feira, fevereiro 16, 2005
No Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa

CONFERÊNCIA:
"Labour market integration of young people in Europe: causes and consequences"


Maarten Wolbers
Research Centre for Education and the Labour Market
(Maastricht University)


ICS - 25 de Fevereiro - 11h
Piso 0 - Sala Polivalente

salário mínimo

quinta-feira, janeiro 06, 2005
Salário mínimo: Portugal atrás de Malta, Chipre e Eslovénia
O salário mínimo português é inferior ao de três dos novos Estados-membros da União Europeia, revela um estudo da Federação Europeia de Empregadores (FEE). Chipre, Malta e Eslovénia têm salários mínimos superiores aos 374,70 euros registados em Portugal.

tsunami

quarta-feira, janeiro 05, 2005
tsunami.jpg

Cruz Vermelha: maremoto pode ter feito mais de cem mil mortos

Saiba como pode ajudar

Assistência Médica Internacional:
Banco Espírito Santo – nº 015/40000/0006
Multibanco - entidade 20909 e referência 909 909 909 em Pagamento de Serviços
Tranferência bancária para o BES - NIB 000700150040000000672

”SOS Crianças da Ásia” da UNICEF:
Caixa Geral de Depósitos – NIB 003501270002824123054

Caritas ajuda vítimas do Sudeste asiático:
Caixa Geral de Depósitos – NIB 003506970063091793082

Apelo emergência da Cruz Vermelha:
Banco Português de Investimento – NIB 001000001372227000970

habitações etnicamente correctas

Comunidade Cigana de Paços vai ter habitações "etnicamente correctas"

Finalmente, alguém se lembrou deste pequeno pormenor! É importante que as comunidades tenham habitações adequadas às suas tradições culturais.

Atitudes Sociais dos Portugueses

- FAMÍLIA E PAPÉIS DE GÉNERO -

Seminário de Apresentação e Discussão de Resultados
14 de Janeiro de 2005
Instituto de Ciências Sociais, Av. Prof. Aníbal Bettencourt, 9

bolsas de estudos

domingo, janeiro 02, 2005
Fundação Oriente: candidaturas para bolsas de estudos abrem segunda-feira
Estudantes orientais e portugueses podem candidatar-se a partir de segunda-feira às bolsas de estudo da Fundação Oriente para aperfeiçoamento artístico, linguístico e cultural e de investigação, anunciou hoje a instituição.
As bolsas para aperfeiçoamento artístico, linguístico e cultural serão concedidas a cidadãos de países do Extremo Oriente que pretendam desenvolver em Portugal conhecimentos e trabalhos num destes domínios e a portugueses que pretendam realizar semelhante aperfeiçoamento naqueles países, adianta a Fundação Oriente em comunicado.

televisão

Jovens vêem menos televisão que a média dos portugueses
Os jovens portugueses entre os 15 e os 24 anos vêem menos televisão do que a média do universo estudado pela Marktest Audimetria.

É óbvio... Passam o tempo nos centros comerciais!

vazio de valores

terça-feira, dezembro 28, 2004
Falta de acompanhamento dos pais é um passo para o «vazio de valores»
Telejornais capazes de fazer mais estragos emocionais que granadas espoletadas num qualquer filme de guerra. Telenovelas e séries que estruturam mais a personalidade infantil que os próprios laços filiais. A solidão. Estilhaços de valores e sentimentos. Dúvidas. A (des)ilusão.
São poucas as palavras necessárias para dizer de que modo as crianças de hoje vêem televisão - e muitos os fantasmas em que se afundam por não serem capazes de descodificar, muito menos de contextualizar, as imagens que vêem. Ao ponto de isso afectar grandemente as crianças nas suas vidas quotidianas, alerta a especialista em estudos da criança da Universidade do Minho Sara Pereira, dando nome ao verdadeiro problema a falta de acompanhamento por parte de um adulto.

cidades

domingo, dezembro 26, 2004
Reler as cidades nos seus quotidianos
«Como eram as cidades e as serras há pouco mais de um século? Como se vive hoje na cidade e porque se ambiciona um regresso às origens? Como nos vemos a nós próprios no quotidiano que vamos fabricando, quase como Penélope, fazendo e desfazendo, na espera da felicidade?» pergunta a historiadora Maria Helena Carvalho dos Santos na introdução do seu mais recente trabalho, Arte, História e Quotidianos na Cidade, com edição da Sociedade Portuguesa de Estudos do Século XVIII (SPES).
A partir daqui, e ao longo de quase 300 páginas, viajamos pelas artes e ciências para chegarmos a esse universo tão complexo que é o quotidiano nas cidades.

conferência

quinta-feira, outubro 21, 2004

Convite-Burnay.JPG

bem estar

Bem-estar em Portugal é menor do que noutros países

Os valores do bem-estar em Portugal são muito mais baixos do que os que se observam noutros países europeus. Tal como acontece nos estados menos desenvolvidos da Europa, são os mais jovens os que se sentem mais felizes e satisfeitos.Estas são algumas das conclusões de uma análise feita a partir dos resultados do European Social Survey (ESS) por Maria Luísa Lima e Rosa Novo - respectivamente do Centro de Investigação e Intervenção Social do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE) e da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação, em Lisboa. O ESS, um inquérito que, para já, abrangeu 20 países, tem como grande objectivo avaliar as mudanças que ao longo do tempo ocorrem nas atitudes, percepções e padrões de comportamento dos europeus. Luísa Lima e Rosa Novo debruçaram-se sobre os conceitos de bem-estar subjectivo (avaliado a partir de perguntas como: "considerando todos os aspectos da sua vida, qual o grau de felicidade que sente?) e de bem-estar social (onde se incluem desde indicadores relativos à crença na natureza humana e na confiança que se pode depositar nas pessoas até à satisfação com o funcionamento social, a democracia, o governo, a economia...).

in Público

Prémio Montaigne

Prémio Montaigne será atribuído ao sociólogo António Barreto

O Conselho Internacional da Fundação Alfred Toepfer F.V.S, responsável pela atribuição do Prémio Montaigne, distinguirá este ano o sociólogo português António Barreto pelos «seus méritos e distinção extraordinários na investigação sociológica de Portugal».

ruralidades

quarta-feira, setembro 15, 2004
ONU: Portugal é o segundo país mais rural da UE
Portugal é o segundo país mais rural da União Europeia (UE), só ultrapassado pela Eslovénia, que passou este ano a fazer parte do espaço comunitário, mas é também um dos países com mais elevadas taxas de crescimento urbano, revela um relatório da ONU.
Os dados patentes no último relatório do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA) são relativos a 2003. Sob o título "O Consenso do Cairo Dez Anos Depois: População, Saúde Reprodutiva e Esforços Mundiais para Acabar com a Pobreza", o relatório será hoje a apresentado a nível mundial e mostra que, no ano passado, a percentagem da população urbana em Portugal era de 55 por cento. Na Eslovénia, 51 por cento da população vive em cidades, o que a torna o primeiro país em termos de ruralidade na Europa.
in Público